sexta-feira, 4 de setembro de 2015

Honestidade Intelectual ou falta dela

A expressão “desonestidade intelectual” é uma expressão hoje utilizada de uma forma banal na maioria das vezes por aqueles que, num profundo conflito mental, se atrofiam e julgam os outros pela sua imagem e têm dificuldade de ver para além do seu próprio umbigo. Aliás são geralmente estes que omitem conscientemente os aspectos da verdade conhecida. De facto, este expediente é utilizado como um dispositivo retórico por muitos quando a verdade os incomoda. Os alçapões da mente permitem ludibriar os mais incautos numa leveza de espirito pouco digna dos que persistem nesta forma de estar. Será correcto dizer que, o uso da expressão em causa serve para tentar “atacar” “achincalhar” , “ofender” outrem, entre outras figuras de estilo, apenas por falta de capacidade de argumentação desses seres “iluminados”. Mas não é correcto afirmar que esta expressão não deva ser utilizada, isto porque a “desonestidade intelectual” existe e está bem patente nas tentativas diárias dos mais incompetentes de desviar o essencial. Há de facto, quem não sendo honesto intelectualmente consigo próprio que também tenha dificuldade em o ser com os outros e são estes os verdadeiros detentores do titulo de “Desonestos Intelectuais”. São estes os campeões esotéricos da omissão, da transformação, da camuflagem da verdade e que conseguem por vezes produzir verdadeiros atentados à mente humana com uma calma e serenidade incomparáveis Em suma este é um sinal claro da sua incompetência que se esconde atrás da poeira que os mesmos levantam para esconder as suas fragilidades. Truques, que já tiveram os seus dias é o que vos digo…… O Secretário Geral da CNAF - Confederação Nacional das Associações de Família Hugo Oliveira In diário de Leiria, 4 de Setembro de 2015

Sem comentários:

Enviar um comentário